A Reciclagem e suas ramificações: Downcycling e Upcycling

Na Biologia chamamos de meiose o processo de divisão celular, do qual uma célula tem o seu número de cromossomos reduzido pela metade através de vários processos de subdivisão. Bem, você deve estar se questionando o que isso tem a ver com Sustentabilidade? tem sim! Uma vez que o conceito de Reciclagem ficou tão forte ao ponto que especialistas começaram a identificar e nomear essas subdivisões. Essas divisões não acontecem  apenas na biologia, ela é presente e muito forte em sistemas políticos, movimentos sociais, racionais e etc.

Essa divisão vem para melhorar a compreensão e o próprio processo dentro da sustentabilidade, para que não se confunda reciclar com reutilizar.

A sustentabilidade marca seu inicio nos anos 70, mas ainda encontra barreiras no mercado e na sociedade, por isso nos surpreendemos com termos e achamos que tudo é novidade.

Para entendermos melhor essas diferenças vamos analisar o conceito de cada uma delas.


Reciclagem:

Basicamente é o processo de transformar um material ou produto que chegou no fim de sua vida útil em um novo e igual ou de apenas renovar a matéria.

Exemplo: Uma garrafa PET em uma nova garrafa ou para que se torne novamente o Politereftalato de etileno para outros fins. Esses processos de reciclagens envolvem grandes gastos de energia e de água, além de usarem produtos químicos para que essa transformação seja mais eficiente para a indústria.

Downcycling:

Imagine um produto que ao final da vida não tem como retornar como era, mas tem a possibilidade de se transformar em outro produto com uma diferença, a queda de sua valorização, por isso o uso da palavra DOWN, palavra inglesa que significa DESCER/ BAIXAR.

No Downcycling e na Reciclagem os materiais passam por gastos energético e grande parte possui produtos químicos evolvidos no processo.

Exemplo: O papel branco não sofre o processo de reciclagem e sim de Downcycling, já que após o processo não terá mais a qualidade de antes, e suas características passam por alterações de cor e textura,  outro material é o plástico PEAD usado em embalagens de alimentos e produtos de limpeza, ele não pode ser usado novamente como embalagens para nenhum tipo de produto, mas pode se transformar em objetos.

Upcycling:

Nesse processo o produto sofre uma supervalorização, um produto que chegou ao final do ciclo é usado para criar um outro totalmente diferente em sua forma e até o de sua função, essas modificações geralmente são com o mínimo ou zero de água, energia e químicas, o que vale nesse processo é a criatividade. O Upcycling já vem sendo o favorito dos estilistas, designers, arquitetos, engenheiros e ambientalistas. A origem do termo é do ambientalista alemão Reine Pilz, foi um dos primeiros a utilizar o termo, em 1994. O Arquiteto William McDonough ajudou a divulgar o conceito em seu livro “Cradle to Cradle: CRIAR E RECICLAR ILIMITADAMENTE”.

Exemplo:  Sobras de materiais de construção como sacos de cimento viram bolsas de grife, o material antes descartados voltam ao mercado com maior valorização e impacto socioeconômico.

A sustentabilidade surgiu a mais de meio século, mas ainda encontra barreiras no mercado e na sociedade, por isso ainda achamos que tudo é novidade.

E agora que sabemos a diferença não vamos mais confundir os três, hem!

Dica Om:

Os processo de reciclagem e downcycling são feitos por empresas especializadas, mas nós como sociedade e consumidores conscientes temos o dever de separar os materiais e de ajudar em todos os processos, consumindo menos e melhor, privarmos a qualidade e não a quantidade, incentivando o uso e venda de produtos Upcycling. Temos responsabilidade direta e indireta com nosso “lixo” e resíduos.

Om Shanti!

 

Você também pode gostar de