A história por trás dos terrários

Que os terrários estão em alta hoje todo mundo já sabe. Mas quem aprecia tanto este tipo particular de jardim mal sabe que esta invenção já é bem antiga…

Os terrários surgiram no século XIX, durante a era Vitoriana na Inglaterra, criados pelo médico e cirurgião inglês Nathaniel Bagshaw Ward. O Dr. Ward observava uma pupa de borboleta dentro de uma garrafa, quando notou que junto à terra da garrafa havia uma raiz de samambaia misturada, que brotou e cresceu ali dentro. Ele então testou outras plantas e concluiu que, com um pouco de luz e umidade, os vegetais poderiam viver por anos num ambiente fechado. Dr. Ward publicou suas ideias em um livro chamado “On the Growth of Plants in Closely Glazed Cases”, em 1852.

ward-caixas-wardianas-2ward-caixas-wardianas

Dr. Ward e as Caixas Wardianas. Imagens do livro“On the Growth of Plants in Closely Glazed Cases”

 

Com a descoberta, logo percebeu-se sua aplicação na pesquisa botânica, como forma de transportar plantas em longas viagens de navio. À época, eram muito comum as expedições botânicas, onde nobres da corte mandavam navios com botânicos, coletores de plantas e estudiosos da natureza ao ‘Novo Mundo’ para encontrar espécies vegetais diferentes daquelas existentes na Europa. Os estudiosos vinham até as florestas tropicais em países da América e retiravam centenas de plantas e insetos tropicais. O problema era que, antes dos terrários, a maioria das amostrar coletadas nos trópicos acabavam por morrer durante a viagem, fosse por falta de água doce para regá-las, fosse por doenças adquiridas na viagem, fosse pela não adaptação ao novo clima. Assim, com a recente invenção do Dr. Warden, foi possível garantir a sobrevivência das plantas descobertas não apenas no ambiente do navio, para transporte, como também nos diferentes climas da Europa.

terrarios

Terrários no estilo Vitoriano, similares aos originais do séc XIX

 

Estes primeiros terrários, antecedentes do terrário moderno, ficaram conhecidos como Caixas Wardianas. O objeto, inventado por volta de 1830, tornou-se logo uma febre entre os nobres e item de decoração obrigatório nas casas e escritórios da alta classe. As caixas, geralmente fechadas, recriavam um ecossistema em miniatura, permitindo que a água percolasse pelo solo e fosse absorvida pelas raízes das plantas. O ciclo se completa com a transpiração dos vegetais e a condensação da água na parede do vidro, fazendo com que esta escorra e volte para o solo.

terrarios

Terrários modernos com inspiração geométrica

Este ciclo da água dentro dos terrários é que garante a sobrevivência das plantas nos terrários fechados, que podem durar anos sem ser abertos. Hoje, vemos ressurgir a moda dos terrário, agora em novos recipientes e vidros, tanto abertos como fechados. Os “mini-jardins”, como vem sendo chamado, aparecem nas versões pendentes e até mesmo com figuras que recriam micro paisagens.

terrarios

Mini-jardins com figuras humanas, recriando paisagens naturais

Pois é, quem diria que este queridinho da decoração atual têm tanta história e ciência por trás?! E então, que tal ter um na sua casa?

 

Maria Fernanda Trientini
Engenheira Agrônoma Paisagista
Docente de Paisagismo do SENAC Piracicaba

Senac

 

Você também pode gostar de