Vamos falar sobre gesso?

gesso na decoracao
Fonte imagem: goo.gl/2L1VZ0

Oi gente! Para quem me acompanha nas redes sociais (@apto_41 ou no facebook pessoal) já sabe da novidade, mas de agora em diante vou aparecer aqui no #ArqBlog duas vezes por mês! Bacana, né? Estou super feliz e empolgada, é muito bacana poder dividir um pouquinho do que eu sei com vocês! Eu sou daquele tipo de pessoa que tem um zilhão de coisas na cabeça ao mesmo tempo, várias ideias e projetos para pôr em prática e as vezes eu me perco um pouco nesses pensamentos! Kkkk Por isso, perguntei para meus seguidores no insta do #Ap41 sugestões de temas interessantes para abordar aqui… Assim eu conseguiria saber se o que tenho pensado tem a ver com o que vocês gostariam de ler! Sempre que quiserem saber sobre um tema específico é só mandar a sugestão que eu vou atender, beleza? Pode ser aqui nos comentários do blog mesmo!

O tema de hoje é GESSO ACARTONADO (Sugestão da @jessicathauany)

Sou super fã do forro rebaixado, em minha opinião, ele cria uma ambiência legal e dá uma sensação de que o espaço é aconchegante, sabe? Em uma reforma ou construção é uma das primeiras fases quando chegamos nos acabamentos da obra.
Além de ter função de acabamento o gesso nos dá liberdade para “brincar” com a iluminação e nos ajuda na hora de esconder tubulações ou vigas que estão aparentes, ou seja, é maravilhoso! Kkkkk

Fases da obra

Gente, uma coisa mega importante é seguir a ordem sequencial de uma obra, ou seja, não atropelar as fases. Nós vemos muitas pessoas que ficam um pouco perdidas/ansiosas e acabam invertendo a ordem dos serviços, o que não é bacana e pode prejudicar o andamento da obra ou até mesmo danificar os trabalhos já realizados. No caso do gesso é importante que anteriormente já tenham sido feitas a pré instalações de elétrica e do ar condicionado (se houver). Para evitar acidentes com o piso novinho em folha só vale assentar depois do gesso pronto, ok? Então vamos seguir a seguinte ordem: Pré elétrica + ar condicionado; Gesso; Pisos.

Fase obra gesso

Imagina só esse andaime em cima do seu piso novinho? Não rola, né? 

Altura do ambiente

Já me perguntaram algumas vezes sobre a altura do ambiente. A dúvida mais frequente é: “Não vou ter a sensação de sufoco com o forro rebaixado?” Minha resposta é: Não, mas para isso é preciso estipular uma altura limite para seu pé direito (altura do chão ao teto). Gosto de trabalhar com alturas entre 2,60 e 2,70m. Se o pessoal que vai executar o forro p/ você garantir que a altura final será entre esses valores, pode fazer sem medo! Agora se for rebaixar muito mais que isso, aí já vale repensar sobre esse forro e talvez optar por molduras de gesso, que também são super charmosas.

Altura Ambiente

Separei uma foto para (tentar) mostrar o pé direito final do ambiente para vocês. Deem uma olhada na altura da porta em relação ao forro rebaixado. 

Forro de gesso tabicado

O forro tabicado é um dos mais usado no momento, e um dos meus preferidos! É simples e sem frescuras, ou seja, não enjoa e nem “sai de moda”. Segue o desenho do ambiente e tem um pequeno afastamento das paredes, que chamamos de “tabica”. Com esse tipo de forro podemos usar e abusar nos pontos de iluminação. Spots direcionáveis embutidos no gesso dão um efeito super bacana aos ambientes, principalmente quando temos algo nas paredes que queremos valorizar através da iluminação, como por exemplo quadros.

Forro tabicado pendente

Cortineiro

O “Cortineiro” nada mais é do que um vão para embutirmos a cortina entre a janela e o forro de gesso rebaixado. Mais uma das vantagens de se trabalhar com o gesso! O resultado de um cortineiro executado fica muito show! Dá uma sensação de amplitude no ambiente, sabe? Além de imponência para a cortina. O bacana é que mesmo naqueles casos onde não é possível executar o gesso rebaixado também podemos ter o cortineiro. É preciso executá-lo afastando a moldura de gesso da parede na área da janela, e voilà, o espaço para embutir sua cortina esta prontinho.

Cortineiro

Molduras de gesso

Existem “N” tipos de moldura de gesso, e isso vai muito do gosto da pessoa e do estilo da decoração. Um cenário mais clássico pede uma moldura mais curva e com detalhes enquanto que um ambiente com uma pegada mais contemporânea combina com uma moldura lisa. Eu particularmente gosto de molduras lisas e mais altas, sou super fã também de molduras aplicadas no próprio teto. Separei algumas imagens para vocês. Se você tem dúvidas na hora de escolher tenho duas dicas: A) Converse com seu arquiteto/designer, ele é a melhor pessoa para te ajudar nesse momento, e quem deve te ajudar com cada detalhe. B) Agora se você não contratou uma pessoa para te ajudar e não sabe qual moldura escolher opte por algo simples e liso. “Porque, Marcela?” Não tenho nada contra molduras trabalhadas, acho alguns modelos muito bonitos, mas acredito que detalhes mais retos são mais difíceis de enjoar ou até mesmo cair em desuso alguns anos mais tarde.

Moldura Gesso

Fiz uma montagem basiquinha para mostrar a diferença entre uma moldura mais clássica e uma mais contemporânea… Lembrando que esse é apenas um modelinho e dentro de cada estilo temos uma variedade enorme de modelos. Minha moldura preferida é essa com linhas bem retas (bem contemporânea) que aparece não somente na parede como no teto também.

E aí, gostaram do post? Deu pra entender um pouquinho? Quero saber hein gente! Até a próxima,

Marcela Rossi

Você também pode gostar de